PERIPÉCIAS DE UMA MENTE INSANA

Eu sei que esse é só mais blog, dentre milhares que existem por aí. Com certeza ele não é o mais interessante, muito menos o mais bem feito e bem escrito. Eu sei também que ele é escrito por uma pessoa comum, como milhões que estão espalhadas nesse planeta. Sinceramente, não vejo nenhum motivo forte que possa convencê-lo a ler esse blog. Talvez quando eu descobrir, eu te conto.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010


   A menina que tinha em si todos os sonhos do mundo despertou ofegante de um sonho, no mínimo inusitado. Algum tempo depois, porém, poderia defini-lo como surreal, mágico e extraordinariamente minucioso. Aliás, o que aconteceu foi que a menina passou o resto da sua vida tentando encontrar adjetivos praquele sonho singular.
  Quando acordou estava com o coração transbordando em confete, com as pernas bambas e com a cabeça fervendo em lembranças. Afinal, era possível explicar o inexplicável? Como descrever com palavras aquele turbilhão de sentimentos que a invadiu naquela noite? Riu sozinha quando recordou os detalhes. Passou o dia inteiro rindo sozinha, o sorriso mais bobo que já pudera ensaiar.
   Lembrava-se claramente das poucas e significativas palavras dele: - Respira fundo! - Como se respirar fosse suficiente para oxigenar todas as suas células que queimavam como fogo em brasa. Uma deliciosa combustão, que parecia não ter limites. Sensações desconhecidas afloraram da maneira mais inesquecível possível. Esforçou-se para registrar no fundo da alma tudo o que descobria naquele momento, eternizando as reações impulsivas de um corpo que não a obedecia mais. Era engraçado não ser a primeira vez. E era especial ser a primeira vez daquela maneira. Intensidade alucinante. Talvez essas duas palavras pudessem resumir o que aconteceu naquele sonho.

Nenhum comentário:

Loading...