PERIPÉCIAS DE UMA MENTE INSANA

Eu sei que esse é só mais blog, dentre milhares que existem por aí. Com certeza ele não é o mais interessante, muito menos o mais bem feito e bem escrito. Eu sei também que ele é escrito por uma pessoa comum, como milhões que estão espalhadas nesse planeta. Sinceramente, não vejo nenhum motivo forte que possa convencê-lo a ler esse blog. Talvez quando eu descobrir, eu te conto.

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Preciosidade literária: MAUS de Art Spiegelman


 "Amigos? Seus amigos? Se trancar eles em um quarto sem comida por uma semana...aí vai ver o que é amigo!"

 Recentemente, fui apresentada à uma obra prima que pra mim reúne aspectos essencias: boa história, releitura da realidade e pitadas de humor inteligente. São esses três ingredientes que fazem de MAUS  um livro inesquecível, que retrata a dura realidade vivida pelos judeus durante o Holocausto de uma maneira delicada, intrigante e sensível, tocando fundo o coração até dos menos enternecidos.




Em uma narrativa direta e irreverente, Art Spiegelman relata a experiência vivida por seu pai, Vladek, em Auschwitz durante o Holocausto. Um relato duro e comovente, recheado de sentimentalismo e emoção e generosas doses de bom humor. E o melhor de tudo isso, especialmente pra mim, é o fato de a obra ser toda escrita no formato de quadrinhos! Uma verdadeira delícia, que não poderia ter sido feita de outra forma.



MAUS  é desenrolado em diálogos diretos entre pai e filho, entre o presente de Art como escritor de quadrinhos e seu desejo em relatar a história de Vladek e imensos flash backs com narrativas impressionantes e profundas, de uma época que a maioria gostaria de esquecer. Repleto de ação, fugas quase impossíveis, encarceramento, sofrimento e também de muito amor, MAUS descreve os fantasmas do Holocausto e toda a trajetória de horror que Vladek e sua família viveram. A maioria das histórias relatadas são tão tocantes que parecem irreais, à respeito da sobrevivência do pai do autor.

Descrevendo detalhadamente as atrocidades cometidas pelos nazistas nos campos de concentração, os relatos da frieza durante o extermínio racionalizado dos judeus são impressionantes. O objetivo principal do Holocausto era exterminar o maior número de pessoas, com o menor custo e em pouco tempo. Vladek e sua família tentavam de todas as maneiras burlar as leis nazistas e salvar as próprias peles. O resultado foi a perda quase total da família, porém um amor puro e sincero sobreviveu à crueldade dos acontecimentos, e  no final é relatado, o encontro de Anja (mãe de Art) com seu marido Vladek, depois de anos separados e sobrevivendo aos mais variados tormentos.

O livro ganhou o PRÊMIO ESPECIAL PULITZER em 1992. Esse prêmio reconhece pessoas que realizem trabalhos de excelência na área do jornalismo, literatura e música.

Gostaria muito de conseguir descrever com exatidão o conteúdo esplêndido dessa obra, mas me vejo pobre em adjetivos que possam expressar o que eu senti quando a tive em minhas mãos. Posso afirmar que ri, chorei, me emocionei demais e realmente fui envolvida num misto de indiganação e valorização da real História Mundial. SUPER RECOMENDADO!

terça-feira, 20 de abril de 2010

Da nova série... Música da Semana

Espere por mim, morena, espere que eu chego já
O amor por você, morena, faz a saudade me apressar.

Tire um sono na rede

Deixa a porta encostada
Que o vento da madrugada já me leva pra você.

E antes de acontecer o Sol

A barra vir quebrar
Estarei nos teus braços para nunca mais voar.

E nas noites de frio serei o teu cobertor,

Quentarei o teu corpo com meu calor

Ah, minha santa, te juro por Deus Nosso Senhor,

Nunca mais, minha morena,
Vou fugir do teu amor.

Espere por mim, morena, espere que eu chego já

O amor por você, morena, faz a saudade me apressar.

Loading...