PERIPÉCIAS DE UMA MENTE INSANA

Eu sei que esse é só mais blog, dentre milhares que existem por aí. Com certeza ele não é o mais interessante, muito menos o mais bem feito e bem escrito. Eu sei também que ele é escrito por uma pessoa comum, como milhões que estão espalhadas nesse planeta. Sinceramente, não vejo nenhum motivo forte que possa convencê-lo a ler esse blog. Talvez quando eu descobrir, eu te conto.

domingo, 23 de agosto de 2009

Parece-me impossível um blog ser impessoal.

Me vejo perdida com as palavras. Alguns anos atrás, eu dificilmente passava por uma situação e deixava de registrá-la no papel, por mais simples que fosse. Hoje percebo que deixei essa habilidade adormecida durante muito tempo, o que dificulta uma retomada de supetão. Porém, o que me deixa mais inquieta não é apenas o fato de ter deixado essa aptidão de lado, e sim de ter abandonado muitas outras, que fazem parte da minha essência.

A necessidade de expressar o que eu sinto não desapareceu, apenas perdeu um bocado da força que tinha. Pode ser que o tempo tenha me ajudado a lidar com os sentimentos de uma maneira menos abrupta, mais madura. Os conflitos internos muitas vezes perdem a importância e dão lugar aos problemas da vida real. Não há tempo para indagações, antigamente tão constantes, do tipo ' da onde vim; pra onde vou...'. Parece até engraçado pensar nessas filosofias hoje em dia.

Adquirir um certo ritmo de vida -geralmente que nos é imposto- é totalmente necessário para a sobrevivência. Vivemos em uma sociedade que nos devora sem percebermos, impondo opiniões, valores na maioria das vezes corrompidos e padrões que não correspondem com o da maioria. Será que é preciso futilidade para ser feliz? Será verdade mesmo que só encontrarei a felicidade quando finalmente possuir o status de vida que considero ideal e invejável?

Indagações sinistraaaaas... haha. Todos sabem responder, de acordo com o seu ponto de vista. Desisti de encontrar as respostas certas. Posso dizer que amanhã inicio no curso de Biotecnologia, um dos curso que sempre sonhei. Talvez não corresponda as minhas expectativas, mas confesso que viso muito uma estabilidade economica, a longo prazo. Experimentar um pouco esse mundo de futilidades não me parece de todo uma má ideia. E quanto ao quesito felicidade, posso afirmar que uma simples companhia me fez feliz nesse final-de-semana. Talvez não tão simples, mas com certeza muito feliz. ♥


STATUS:
ouvindo: Marley e The Waillers, Natiruts, Alma d´jem, Mato Seco, coisinhas leves.
lendo: artigos de biologia e resumos de química.
sentindo: alegria, euforia, expectativas mil, vontade de ficar perto e um talvez um pouco do que eu possa chamar de paz.
preocupada com: futuro (não vale). Acredito que com uma compreesível falta de tempo.

Nenhum comentário:

Loading...