PERIPÉCIAS DE UMA MENTE INSANA

Eu sei que esse é só mais blog, dentre milhares que existem por aí. Com certeza ele não é o mais interessante, muito menos o mais bem feito e bem escrito. Eu sei também que ele é escrito por uma pessoa comum, como milhões que estão espalhadas nesse planeta. Sinceramente, não vejo nenhum motivo forte que possa convencê-lo a ler esse blog. Talvez quando eu descobrir, eu te conto.

sábado, 1 de agosto de 2009


Anarkland


Vem, me dê a mão que eu vou te mostrar um lugar chamado Anarkland.

Situa-se nas proximidades da ilha de Marajó e conta dez mil habitantes.

É um país onde não há governo central, seus cidadãos são seus próprios governos. É muito engraçado, porque todo o habitante lá me diz que cada homem de Anark é o seu próprio país. São dez mil pessoas lá e não tem polícia porque lá não tem ladrão, e o fato de não ter ladrão é que o dinheiro não existe. Individualistas, ultra-anarquismo desenvolvido ao mais alto grau, Anarkland existe com audácia, servindo de exemplo para os demais países da Terra de antiquadas concepções e ideologias políticas. Os demais países não têm absolutamente nenhum interesse economico por Anark (considerado "riscado do mapa" dos governos como "país pobre"). Não processam riquezas minerais, pois cada indivíduo tem seu próprio jardim onde as trocas se promovem entre si. Mantêm felizes os seus homens e os seus valores, que são completamente diferentes dos valores econômicos dos países totalitários, pois não há indústria, dinheiro, exploração, escravidão, loucura, empregados, somente GENTE. E gente não come ouro, petróleo. Gente come o que gente planta. A ilhota tão pequena que o único veículo usado para locomoção são os animais de montaria: cavalos, burros, bois, vacas e curiosas avestruzes gigantes que chegam a fazer 30 quilômetros por hora!!


Vamos neste momento entrevistar um anarkman, sr. Lemmuins.


- Sr. Lemmiuns, o senhor não sente falta de ir a um cinema? Eu soube que não há nada assim por aqui. Diversões públicas...


- Ah,ah,ah. Já fui muito fã de cinema quando eu morava na cidade...mais isso já faz muito tempo. Era quando eu era infeliz, e o cinema foi feito pra uma breve descarga da tristeza em troca de algumas risadas ou entreternimento. Como eu já não sofro, não preciso de paliativos tipo cinema, vê? O sistema autoritário é mais monstruoso do que se imaginava; a busca de desejos, vitrinas, se formar, ser rico, tudo isso não passa de uma tola fuga da infelicidade.


- O Sr. acha possível uma tomada de consciência em massa nesse aspecto? O sistema ruiria em algumas horas se, por exemplo, ninguém saísse de casa? Só por uma hora, que acha?


- Não acho provável, mas eu nunca me preocupei com essa loucura e problemas de escravos desde que eu me mudei pra cá. Desde que me tornei um narkman; se eles são escravos é porque ainda não estão fortes pra sair da escravidão. Que apodreçam em recepções e reuniões pólíticas. Azar.


- Lá essa sua atitude seria tachada de burguês-acomodado-porco-egoísta.


- É possível que você tenha razão. Mas eu não moro lá. Aqui eu SOU.


- Pessoalmente eu não posso sair da cidade. Gosto muito de dinheiro, sr. Lemmiuns. O senhor não se sente nem um pouco confinado? Fora do mundo?


- Que mundo? Aquele desvario antagônico de valores absurdos? Eu sou livre pra partir pra onde eu quiser, mas eu não tenho razão para ir me afogar na lama do seu escravagismo!!!


( Ih, ih, ih! risada nervosa do entrevistador.)


- Desculpe se às vezes eu rio, é que eu acho uma loucura. Eu...


- Aqui nós já sabemos que loucura não é a que está escrita nos dicionários.


- Existe algo semelhante a uma Constituição política? Uma carta, uma orientação geral?


- Não, não há uma regra geral e sim dez mil constituições sob o conceito: " Faze o que tu queres, há de ser tudo da lei" ou " Não existe Deus, senão o homem".



* Texto extraído do livro " O baú do Raul revirado " pelo maior Profeta e Maluco beleza de todos os tempos, Raul Seixas.


** Créditos à uma pessoa muito especial, que largou essa delícia literária nas minhas mãos ♥.



"NÃO SEI ONDE EU TÔ INDO, MAS SEI QUE TÔ NO MEU CAMINHO."



4 comentários:

rootsonE disse...

" Quero que venhas depressa
O tempo é pouco
Careço de partilhar meus delírios com você
Conheço lugares jamais penetrados
Misto de poeta e pirata
Só os loucos são capazes de voar
Não tenhas receio de mim
Quero te levar aonde estou
Como poderia mentir-lhe
Se sou somente o que sou? "

RAUL ETERNO.

sintesecerebral disse...

poh vinhozito tinto coisa mais boa, e tem aquela maxima, o alcool entra e a verdade
bah tinto não tem comparação

Diogo Diarone disse...

COMUNISTAS !!!!!!
HAHAHAH....

rootsonE disse...

NADA a ver com comunismo! asuihasuiashias eh apenas ANARKLAND! :D

Loading...